Fenômeno OVNI: Operação Prato – O maior acontecimento ufológico do mundo

hqdefault

Operação Prato

No dia 20/10/1977 à tarde, uma equipe da seção de informações do I COMAR, conhecida como 2ª Seção ou A2., composta de três agentes, sai de Belém em direção ao município de Santo Antônio do Tauá, distante cerca de 60 km da capital. Nos primeiros dias realizaram uma série de entrevistas com habitantes dos municípios de Tauá, Colares e de povoados próximos ao Rio Bituba, como Santo Antônio do Ubintuba, Vila Nova do Ubintuba e Paraíso do Ubintuba todos no município de Vigia e na Burrega em Tauá. Realizam também as primeiras observações de objetos voadores, alguns identificados, outros não. Durante os primeiros dias o chefe da 2ª Seção, coronel Camillo Ferraz de Barros, além de uma equipe médica militar, citada na documentação vazada, mas nunca identificada em suas páginas, acompanham depoimentos e chegam a ter suas próprias observações de objetos voadores. Logo no início da missão incorporam-se dois grandes personagens da Operação Prato: o sargento Flávio Costa e à época capitão, Uyrangê Hollanda, ambos lotados na 2ª Seção. O então capitão Hollanda assumiu a chefia da operação em 01/11. A base de operações se estabeleceu em Colares dia 29/10. O sargento Flávio Costa registrou em relatório específico uma descrição de como os cidadãos de Colares estavam percebendo os fenômenos e como estavam sendo afetados. Conta dos ataques com foco de luz, a “histeria coletiva” em que se encontrava a população e testemunha as constantes procissões de moradores soltando fogos e tiros para afugentar as luzes. Em resumo, a sociedade local estava apavorada. Também deixa claro o papel negativo e irresponsável da imprensa na criação do chupa-chupa: “do monstro criado pela imprensa”. Segundo o relatório: “Em sua totalidade a região (…) tem por habitantes pessoas de índice cultural, socioeconômico e sanitário dos mais baixos, aliados a crendices e formação simples, facilmente influenciados pelos meios de comunicação, nem sempre usados por pessoas escrupulosas.”.

No dia 01/11 encontramos o maior contingente militar registrado na documentação da Operação Prato: o chefe da 2ª Seção, o chefe da Operação, uma equipe de três sargentos da 2ª Seção e quatro tripulantes de um helicóptero Bell H-1H Huey. Ao todo 9 militares.

Leia mais em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_Prato

assomb3_4

Uyrangê Hollanda Conta Tudo

A morte de Uyrangê Hollanda

Arquivos oficiais:

http://www.informeovni.net/documentos/op01parte1.pdf

http://www.informeovni.net/documentos/op01parte2.pdf

http://www.informeovni.net/documentos/op01parte3.pdf

http://www.informeovni.net/documentos/op02.pdf

Fotos:

http://www.informeovni.net/documentos/opfotos.zip

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s